8 de abril de 2014

Você me conhece?? Georges Braque

                         

     “As aspirações de cada época são limitadas: daí a ilusão do progresso.” Georges Braque.

Georges Braque nasceu em 1882, em Argenteuil França, era filho e neto de pintores. Foi criado em Le Havre e estudava na École des Beaux-Arts entre os anos de 1897 a 1899, trabalhava com seu pai no negocio de pinturas decorativas.
Mudou-se para Paris e estudou com um mestre decorador em 1901, e em 1906 teve sua primeira exposição no Salão dos Independentes, na época usava mais cores puras e formas simples com o fauvismo.
Um ano depois conheceu Picasso e se tornaram amigos, juntos criaram o cubismo,começaram a usar a técnica de colagem em suas pinturas, Braque e Picasso se viam quase que diariamente, mas a amizade durou até 1914 quando Braque foi convocado para a primeira guerra mundial.
Em 1915 Braque foi ferido na cabeça, então foi agraciado com a Cruz de Guerra e da Legião de Honra.
Durante dois anos, devido ao ferimento ficou afastado da pintura, retornando em 1917 focando-se em naturezas-mortas e pinturas figurativas, sempre dentro de uma formulação cubista, sua obra pós gerra ganhou liberdade, em 1922 expôs no Salão de Outono em Paris,onde ficou famoso. Fez ainda a cenografia para dois balés de Sergei Diaghilev.
Em 1925, mandou construir uma casa, feita pelo arquiteto Auguste Perret. 
No fim da década, sua obra foi ficando mais realista.
Por volta de 1930 foi morar em Varengeville na Normandia, em uma casa de campo, criou um atelie onde passava a maior parte do tempo esculpindo e pintando
Em 1931 sua pintura se tornou mais lírica com gravuras e motivos mitológicos, em 1933, Braque realizou a primeira retrospectiva de peso, num museu da Basiléia na Suiça. Quatro anos depois, ganhou o primeiro prêmio na mostra Carnegie International, em Pittsburgh EUA.
Quando começou a Segunda Guerra Mundial, ficou em Varengeville trabalhando com litogravura, gravura em metal e escultura.
Em 1954, desenhou os vitrais da igreja de Varengeville e, em 1958, participou da Bienal de Veneza, onde teve uma sala especial.
Nos últimos anos de vida, mesmo com problemas de saúde, Georges Braque continuou atuante, dedicando-se à pintura, à litografia e à joalheria.


                                          Barco en Le Havre 1905 - Óleo sobre tela



                                     Arte de Botella y pescados 1941 - Óleo sobre tela



                                           Una casa en L´Estaque 1908 - Óleo sobre tela



                                               Hades 1963 - Clip de diamantes e ouro



                                                        Limones 1929 - Óleo sobre tela



                                  Bandolim 1914 - carvão vegetal, papel, guache e papelão



                               Natureza morta com Ás de copas 1914 - Lápis sobre papel cartão



                           Natureza morta com instrumentos musicais. 1908 - Óleo sobre tela



                            Pélias e Neleus tema de aves de trinta anos. - Serigrafia - 1958


                  Tabuleiro - Cinema Tivoli 1913 - Gesso, papel, carvão e óleo sobre papel e tela



                                                   O terraço 1948 - Óleo sobre tela



                                                      Vanitas 1939 - Óleo sobre tela 



                                       Violin - Mozart-Kubelick. 1912 - Óleo sobre tela



                                 Formas musicais 1913 - Petróleo, carvão e lápis sobre tela


                             Astarte 1963 - Broche de ouro granulado pérola Tahitian
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...